Plano B quer manter ritmo de crescimento

A Plano B quer manter o seu ritmo de crescimento em 2013, abrindo mais agências em diferentes pontos do País. A marca especializada em arrendamentos imobiliários explicou que não quer abrir unidades indiscriminadamente, mas sim de forma gradual, promovendo um crescimento sustentado na qualificação e qualidade dos seus franchisados.

A marca espera assim continuar a ser o “plano de contingência para todos aqueles que não conseguem ou não querem adquirir um imóvel nas condições actuais”.

Seguindo por isso essas previsões, a Plano B quer continuar a crescer neste novo ano, abrindo mais agências em pontos estratégicos de Portugal, mas não indiscriminadamente: “A abertura de agências de forma indiscriminada não é o objectivo da equipa, pois se assim fosse, bastava “oferecer” direitos de entrada a quem nos procura, correndo o risco de ter uma rede com franchisados sem apetência para o negócio e sem responsabilidade de fazer a marca crescer. O crescimento da Plano-B passa por qualificar muito bem os potenciais franchisados, pois acreditamos que o estudo deve ser feito, não só por quem quer investir, mas também pelas próprias marcas.”

Defendendo o franchising como modelo de negócio, a marca aponta este factor como benéfico para o investidor, tendo em conta que “as sinergias criadas pela força do grupo, bem como a interacção entre todos, um manual de procedimentos a seguir que evita desvios no método de trabalho, fazem com que um negócio assente no modelo de Franchising, seja por si só uma modelo vencedor.”

Depois das aberturas das agências no centro do Porto e no distrito de Faro, a Plano B espera em 2013 ter uma média mensal de 70 arrendamentos e 40 planos de gestão.