Uma solução interminável…

“O Mundo é construído sobre o poder dos números” Pitágoras

No fim-de-semana passado, alguém me dizia que apesar de ler os mais variadíssimos suportes jornalísticos, não sabia qual a solução para a enorme negatividade com que somos acossados diariamente. Com efeito, se dedicarmos algum tempo na pesquisa duma solução, pode-nos parecer uma procura interminável. No entanto, a resolução desta equação cujo resultado tende para infinito, depende não de uma mas de várias variáveis.

A liderar este processo temos a PRODUTIVIDADE. E falar de produtividade não é apenas aumentar o nº de horas que passamos no nosso local de trabalho. É sim, rentabilizar o tempo de execução desse mesmo trabalho. E esta variável não depende de um decreto-lei aprovado no hemiciclo, muito menos de processos de contestação nas diferentes artérias do nosso País. Depende de NÓS! Depende daqueles e daquelas que diariamente produzem, e que ao final de cada dia sentem a satisfação do dever cumprido.

A segunda variável é estabelecer um OBJECTIVO. A história demonstra que sempre que estabelecemos um objectivo para a nossa NAÇÃO deixámos marcas nos quatro “cantos” do MUNDO. EMPREENDER foi um verbo que caracterizou o nosso POVO, que com o passar do tempo foi perdendo esta característica, quase caindo numa perspectiva de dependência social por forma a garantir chegar ao final de cada mês. E com isto, passaram meses e anos até que fomos acordados para uma triste realidade em que deixámos de ter OBJECTIVOS e passámos a ser OBJECTO dum mecanismo financeiro, agora conduzido por aqueles que outrora invejaram os nossos feitos. Assim, se cada um de nós começar por criar e definir um OBJECTIVO claro de mudança de princípios, é certa a vantagem a obter, com um enorme contributo no resultado final.

A terceira e última variável é a FOCALIZAÇÃO. Chega de demagogia de bolso vendida num qualquer quiosque, por aqueles que apenas procuram vencer na teia do protagonismo individual. É tão mais fácil apontar o dedo, do que utilizá-lo numa tarefa construtiva. O bom funcionamento dum engenho mecânico depende do afinco com que cada engrenagem se integra. Se todos NÓS nos focalizarmos na meta que temos que alcançar, teremos a certeza de que em breve este motor, que é a nossa economia, estará a debitar muitos “cavalos de potência”. Cada um com a sua focalização específica, desde o governante que defende uma lei controversa, até ao trabalhador que verá os seus rendimentos reduzidos.

Podemos assim concluir que apesar dos desígnios do NOSSO futuro estarem agora entregues a agentes exteriores, compete a cada um de NÓS equilibrar e ponderar da melhor forma, a equação cujas variáveis são apresentadas e por demais evidentes.
O SUCESSO do TODO depende do equilíbrio do SUCESSO das PARTES.

Autor: Mário de Castro Ribeiro, Director Geral - KGest