Imobiliário em recuperação

As redes de franchising de mediação imobiliária parecem estar em franca recuperação, após a crise internacional que afectou o sector. No nosso país, as principais marcas têm obtido paulatinamente uma maior quota de mercado, o que lhes abre boas perspectivas de futuro.

A Fitamétrica anunciou recentemente que,  no primeiro semestre de 2010, cresceu 39% em volume de facturação comparativamente com o período homólogo de 2009. A marca adiantou ainda que “tem apresentado um crescimento sustentado nos últimos anos, sendo que no final de 2009 reportou um crescimento de facturação de mais de 60%”.

A RE/MAX, essa, assinou 18 novos contratos de franchising no primeiro semestre de 2010, mais quatro que no período homólogo de 2009. Assim, a marca prepara-se para cumprir o objectivo de expansão previsto para 2010: 30 novos franchisados. Até ao final do ano, a RE/MAX pretende chegar a localidades como Beja, Trofa, Bragança, Vila do Conde, Santa Maria da Feira e ampliar a sua presença na Margem Sul. Segundo a marca, mais de 80% das novas aberturas são investidores que entram pela primeira vez no sector imobiliário, enquanto 20% são agências tradicionais que optam por prosseguir a actividade em associação com uma marca consagrada.

Como o GoFranchising já havia noticiado, a Real Living anunciou também um crescimento notório do seu volume de negócios no primeiro semestre do ano, em relação ao período homólogo de 2009, altura em que funcionava ainda sob o nome GMAC. Este crescimento, segundo a marca, foi reforçado com o aumento da força de vendas em 11%. 

Entretanto, e pela primeira vez ao cabo de alguns anos, uma marca imobiliária portuguesa anunciou a sua pretensão de expandir-se sob a fórmula de franchising. Trata-se da ImoEmbaixador, que augura abrir a curto prazo 50 lojas. Com origem no Norte, é nessa região que a marca pretende cimentar a sua posição, para depois crescer a nível nacional. O conceito da nova rede consiste, segundo os seus promotores, num “low cost” único no mercado imobiliário, com um investimento inicial mínimo.