Microcrédito para franchising

O microcrédito constitui uma solução para quem pretende abrir um franchising e não tem alternativas de financiamento. Através deste sistema, pode aceder-se a um pequeno empréstimo bancário até 15 mil euros destinado a apoiar pessoas que não têm acesso ao crédito bancário normal, mas querem desenvolver uma actividade económica por conta própria e, para tal, reúnem condições e capacidades pessoais que antecipam o êxito da iniciativa que pretendem tomar.

O pedido de empréstimo tanto pode ser formulado nos bancos aderentes, como directamente na ANDC (Associação Nacional de Direito ao Crédito) ou no IEFP (Instituto de Emprego e Formação Profissional).  Em todos os casos, será preciso elaborar um projecto com a memória descritiva do negócio, localização e valor a investir. Nos financiamentos geridos pela ANDC, o passo seguinte é submeter a ideia à associação e escolher um banco aderente. No caso do IEFP, este apoio tem de ser pedido pelo investidor e é assegurado por entidades privadas sem fins lucrativos ou autarquias locais reconhecidas.

O microcrédito pode ser concedido mesmo a desempregados e é cumulável com outros apoios à criação do próprio emprego. As taxas de juro são atractivas, o prazo de amortização pode ser estendido até aos 7 anos e beneficiar ainda de carência de capital nos primeiros meses (só paga juros).  É certo que tem um limite máximo (que em alguns bancos, como o Millennium BCP, pode ascender a 17 ou 18 mil euros, mas nunca mais do que esses montantes), mas também é verdade que hoje existem diversas ofertas de franchisings típicos de auto-emprego, que não exigem um investimento superior.

O movimento do microcrédito na Europa tem vindo a assumir cada vez maior importância, tanto em termos de beneficiários, como de países e instituições envolvidas. Se aos países da Europa Ocidental adicionarmos os da Europa de Leste e da Ásia Central atingimos já a percentagem de 2,6% do total de crédito concedido, o que mostra a vitalidade desta solução de financiamento.